28 junho, 2014

[Lista #1] As melhores adaptações literárias para o cinema nos últimos anos

Ler um livro envolve imaginar personagens e lugares conhecidos página após página. As palavras viram imagens em nossas mentes, nos apegamos a elas. É exatamente por esse motivo que vê-las nas telonas, em detalhes, com trilha sonora, boa atuação, efeitos especiais e essas coisas que só cinema consegue acrescentar pode ser pra lá de bom.
E é por isso, meus caros, que decidimos estrear nossa Coluna de Listas com este tema. A ideia da coluna é dar indicações práticas sobre assuntos que queremos compartilhar. Esperamos que gostem!

O.B.S.: Os critérios utilizados nas escolhas feitas para esta lista até tentam parecer elaborados, mas são meramente pessoais.

4. Jogos Vorazes: Em Chamas (2013)



O diretor Francis Lawrence, com um roteiro de Simon Beaufoy e Michael Arndt fez um trabalho muito melhor que Gary Ross e Billy Ray no primeiro filme da “trilogia de quatro”.
Não é só a produção mais hollywoodiana que o torna melhor, Em Chamas é mais elaborado em todos os sentidos. O elenco é ótimo, com atores renomados como Philip Seymour Hoffman, satisfaz tanto em atuação quanto na fidelidade as personagens do livro. Aliás, o filme parece ter sido produzido pensando-se nos fans do best seller de Suzanne Collins. Não perde tempo explicando termos ou fatos passados e cada cena transborda de detalhes presentes nos livros.

3. Orgulho e Preconceito (2005)



Dirigida por Joe Wright, esta é na minha opinião, a melhor adaptação do romance de Austen. Os atores, o roteiro de Deborah Moggach, a trilha sonora, a fotografia bucólica, a cartela de cores… tudo encaixa-se perfeitamente com o livro e supera a minissérie de 1995 produzida pela BBC (registro aqui uma indicação para os fans de Orgulho e Preconceito que ainda não a assistiram). Colin Firth que me desculpe, mas Matthew MacFadyen é o Mr. Darcy perfeito.
Não me canso de assistir a este filme.

2. Capitães da Areia (2011)



Se você ainda não leu este livro: leia e depois assista a adptação. Terá a impressão de que a história e os personagens de Jorge Amado saltaram para a tela de sua TV.
Cecilia Amando, neta do autor, é diretora e roteirista do filme. A trilha sonora de Carlinhos Brown consegue captar o espirito dos Capitães da Areia. Os atores foram selecionados em ONGs da Bahia (ressalto que eles foram selecionados em ONGs de comunidades de Salvador e que esse é o primeiro trabalho de muitos, por isso não espere nem uma interpretação digna de Oscar, mas repare na sinceridade das atuações), é o que torna a adaptação especial: o trabalho social com adolescentes realizado na produção inspirada em um livro que faz críticas a sociedade através da figura de meninos-homens. Não vejo como este filme poderia ser melhor.
Curiosidade: Em 2011 completou-se uma década desde a morte de Jorge Amado e, neste mesmo ano, foi comemorado seu centenário. O filme iniciou a comemoração.

1. Harry Potter 1 ao 7 (2001-2011 / Chris Columbus, Alfonso Cuarón, Mike Newell, David Yates)



Sou suspeita pra falar de Harry Potter (como se não fosse pra falar de qualquer um dos livros acima...), por essa razão o primeiro lugar vai para oito filmes e eu desisto de falar das adaptações de forma minimamente “técnica”.

adaptar 
a.dap.tar 
vtd+vti 1 Adaptar, acomodar, ajustar. vpr 2 Adaptarse, acomodarse, aclimatarse. (Dicionário Michaelis Online) 
* Essa observação é para aqueles fans legais de HP que se autonomeiam especialistas na série.


Muitas cenas foram cortas na adaptação e eu queria ver várias delas, mas, pra mim, isso não desmerece os filmes. Não é atoa que esta é a terceira franquia mais bem sucedida de todos os tempos, atrás apenas de James Bond e Star Was. E foi por meio destes filmes que me apaixonei pelo universo de Harry Potter, então os menosprezo.
A série levou dez anos para ser concluída, esse é um ponto especial, Daniel, Emma e Rupert cresceram com os fans nos filmes assim como Harry, Hermione e Rony, nos livros. O elenco inteiro é bom, encaixando- se em cada personagem de forma bem fiel ao livro, especialmente o trio. Quem não fica nostálgico ao som de Hedwig's Theme? A música tema é inconfundível, emocionante como toda a trilha sonora. Os efeitos especias e a cenografia são sensacionais. Os filmes transmitem com imagem e som a magia do mundo que J.K Rolling criou em seus livros.  

18 junho, 2014

[Entrevista Com o Autor #2] Elaine Souza

O Expressão Moda e Literatura tem uma nova parceira! Confira a entrevista com a autora de Churumela e o Amuleto de Belizar, Elaine Souza.



“A medicina me traz as pessoas e as pessoas me trazem histórias. Sou um médicaescritora ou escritoramédica sem hífens. Prescrevo comprimidos e poesia.” Elaine Souza


Elaine Souza nasceu em 07 de novembro de 1986, em Recife-PE.Formou-se em medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e iniciou sua carreira literarária ainda adolescente, no teatro amador. Hoje, escreve literatura fantástica infantojuvenil, além de crônicas. Churumela e o Amuleto de Belizar é sua primeira obra publicada, mas Elaine afirmou ter muito mais de onde veio essa!

EML: Há quantos anos você escreve e o que te motivou a começar escrever?
ES- Não sei ao certo quando “foi dada a largada” na minha vida literária. Quando era adolescente-menina, escrevia poemas (péssimos, por sinal) e pequenas peças de teatro (geralmente comédias). Agora, uma adolescente-adulta, me aventuro pelo romance e crônicas.


EML: “Churumela e o amuleto de Belizar” é sua primeira obra?
ES- Publicada, sim! Mas nas gavetas do armário e da memória ainda há outras.


EML: De onde veio a inspiração para este livro?
ES- De um pé na bunda. É isso mesmo, leitor. Dizem por aí que somente um novo amor para curar um coração partido. Pois é! Churumela e seus olhos violetas colaram meu espelho.
(Espelho?! Ah, não vou contar! Vai ter que ler o livro! ).


EML: Qual a maior dificuldade que encontrou para escrever seu livro?
ES- A disciplina. Escrevi o livro no final da faculdade. Era um período muito conturbado por estágios e preparativos da formatura. Temia que as atribulações do dia a dia atrasassem o andamento do livro. Então resolvi criar um blog, onde publicava dois a três capítulos semanalmente. Nele divulguei o prazo para término da obra: 1 ano! Foi a forma que encontrei de me disciplinar, afinal, os leitores me cobravam pelos capítulos e pedido de leitor é como pedido ao papai Noel, a gente procura retribuir de alguma forma.


EML: E qual a principal dificuldade que encontrou para publicá-lo? 
ES- As principais dificuldades para um autor iniciante são: os custos com a edição, a divulgação e a distribuição da obra. Ou seja, tudo! É muito difícil fazer o livro sair do sonho do escritor para a estante do leitor. Felizmente, a internet tem facilitado e democratizado essas estapas.


EML: Você se dedica integralmente á escrita ou exerce outra profissão também?
ES- Não me dedico integralmente à escrita, mas a literatura não descola de mim. Grudou como Xadrez é grudado com Churumela. Sou formada em medicina pela UFPE e amo o que faço. Costumo dizer que a medicina é meu poço de inspiração e a literatura é o baldinho através do qual eu a compartilho com o mundo. A medicina me traz as pessoas e as pessoas me trazem histórias. Sou um médicaescritora ou escritoramédica sem hífens. Prescrevo comprimidos e poesia.


EML: O que você está escrevendo atualmente? Pode nos falar um pouco sobre? 
ES- Estou escrevendo a continuação da saga Churumela, além de minhas crônicas.


EML: Quais são seus autores preferidos?
ES- Poxa... que pergunta difícil! É como perguntar qual é meu sorvete predileto. Gosto de tantos ( autores e sorvetes). Mas vamos lá... adoro Machado de Assis e tenho grande influência dele na minha forma de escrever. Gosto de outros como: Clarice Lispector, Fiodor Dostoievski, Ernest Hemingway, José Saramago,Gabriel García Márquez, Cecília Meirelles, Carlos Drummond, Manuel Bandeira, Martha Medeiros, Carlos Ruiz Zafón…


EML: Como você vê a situação/aceitação da literatura nacional contemporânea?
ES- Tímida. Mas acho que o bullying a autores nacionais está diminuindo, principalmente, na área de literatura fantástica, infantojuvenil. No Brasil, infelizmente, ainda é muito enraizada a cultura de que “o que é bom é de fora”.


EML: Você pode nos indicar um autor nacional contemporâneo que acha que todos devem conhecer?
ES- André Vianco. Pra quem curte literatura fantástica, recomendo.

Gostaram da autora? Em Breve postaremos a resenha crítica do seu livro Chumela e o Amuleto de Belizar. Aguardem! Mas se a curiosidade sobre o livro for grande, pode já ir atrás do seu exemplar... O livro está á venda nas livrarias online Livraria Cultura e Saraiva! Para saber mais sobre o livro e a autora: 



07 junho, 2014

[TAG #4] Como você escolhe seus livros?



Oi pessoal! Fomos indicadas pela Mariana Siqueira, do blog Love Lovers Blog, para responder a Tag “Como você escolhe seus livros?” criada pela Eva, do blog Falando de Livros. Devemos pontuar cinco aspectos que levamos em consideração na hora de escolher um livro para ler. Sem mais delongas, confiram as respostas!

1. Humor: Organizamos nossa estante por gênero, então, dependendo do meu estado de espírito, me direciono para uma sessão. Sendo assim...

2. Gênero: É um ponto decisivo quando escolho minha próxima leitura ou comprar um livro. O gênero em si, da dicas sobre o que esperar do enredo, isso facilita muito a escolha.

3. Sinopse/Capa: Depois de selecionar o gênero ou se estiver sem preferência, é sempre bom dar uma lida na sinopse. Caso ainda esteja indecisa, vou pela capa (sim, eu julgo um livro pela capa).

4. Indicações: Gosto de ler livros indicados por leitores que me identifico porque as possibilidades de me satisfazer são maiores.

5. Autor: Se eu ler dois livros de um autor e gostar, quero ler todos os livros dele (ou pelo menos ter na estante rs). Quando um autor é aclamado por  suas obras, desejar lê-las é natural. 

E aí, como vocês escolhem seus livros? 
Vou taggear e deixar também essa pergunta aos blogs:




02 junho, 2014

[Poesia do Mês] Reticências...

Poesia de estréia da coluna "Poesia do Mês", agora na primeira semana de cada mês publicaremos um poesia autoral ou de algum poeta que recomendamos. Essa é nossa maneira de incentivar a leitura dessa veia da literatura. Espero que curtam e que sejam tocados por cada uma dessas poesias. 

E nas reticências cabem muitas coisas...

RETICÊNCIAS

O dia amanheceu com os pássaros cantando...
Chamando-me pra ver os primeiros raios de sol.

Há quem diga que é acaso.
O acaso não serve para o sol...

Ele é como nós.
Fruto do sonho projetado...

Foi também vendo o arco-íris
Que aprendi a amar as cores...
Não sirvo para o luto.

Vi o pôr-do-sol se fazer
 Como a vida se faz,
De passagem.
E de passar, se vai...

Vasta é nossa memória
Tão vasta quanto pode o coração...

Vai vivendo todo o meu presente
Como se não estivesse ausente...

Já não há mais aquele raio de sol
Mas sua passagem me deixou a luz
Que agora vejo na lua.


Pétala Souza, 
pra você mãe.