05 julho, 2014

[Poesia do mês #2] O Tempo



O Tempo

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

 Mario Quintana

+ A poesia e o poeta:      

O que mais poderíamos ver se o tempo passa tão de pressa que não dá nem tempo de pensar nas coisas antes de acontecer, quando se percebe já foi, já aconteceu e não tem como voltar atrás deixando só a lembrança ou a angústia de ter passado por algo de ruim, e depois que passar perceber que poderia ter evitado, poderia ter feito diferente, lamentações não adiantam mais já foi, já passou! Leia mais uma vez, acima, o poema de Mario Quintana.

Mário de Miranda Quintana foi um poeta, tradutor e jornalista brasileiro. Nasceu em Alegrete em 30 de julho de 1906 e faleceu em Porto Alegre, em 5 de maio de 1994.


9 comentários :

  1. Linda essa poesia. E verdadeira, além de simples e tocante.
    Flar, ou comentar uma poesia é extremamente difícil, porque é uma das cisas que sentimos e por vezes não sabemos explicar o que.
    Sou grande fã desse poeta justamente por isso, ele tem sentimento ao escrever, o que inevitavelmente passa para o leitor,
    Um beijo ;*

    Juliana . Oliveira
    http://trocandoconceitos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliana, concordo plenamente. Na maioria das vezes nem conseguimos expressar tudo que a poesia é capaz de nos fazer sentir. O Quintana é muito bom nisso... hahah
      Bjão.

      Excluir
  2. Que linda essa poesia, eu ainda não conhecia ela e achei tão bonita, ela é bem reflexiva, embora seja pequena, ela nos causa tantas perguntas, não é? Realmente a gente não sabe usar o tempo de forma correta, enfim, eu adorei essa poesia <3

    Beijos :*
    Larissa - Srta. Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Larissa! Muitas questões sempre surgem entre as linhas de uma poesia... <3

      Excluir
  3. Respostas
    1. Hahah Como não amar?! Não é mesmo... ;)

      Excluir
  4. Amo as poesias do Mario, comprei uns livros dele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Mario tem uma obra riquíssima, vale mesmo investir nessas aquisições!

      Excluir
  5. Oi, Pétala! Como vai?
    Adorei a poesia do Mario Quintana que você trouxe. Creio que a li uma outra vez, mas foi bom ler novamente. Tenho pensado bastante sobre o tempo que não volta e oportunidades perdidas... Muito bom para nos fazer refletir.
    Beijos,
    Karol.
    http://heykarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem vindo.
Leia , pense, se expresse!