21 abril, 2014

[Resenha Crítica] Orgulho e Preconceito e Zumbis

Amor e não-mensonáveis no século XIX



Título Original: Pride and Prejudice and Zombies
Autores: Jane Austen e Seth Grahame-Smith
Gênero: Ficção Inglesa / Literatura Estrangeira/ Mash-up classic  
Editora: Intrínseca
Ano da publicação: 2010.

Sinopse: " Orgulho e preconceito e zumbis é uma versão ampliada do popularíssimo romance de Jane Austen, trazendo cenas inéditas com zumbis partindo crânios de pessoas vivas para devorar seus miolos. Na abertura desta história, ficamos sabendo que uma misteriosa praga se abateu sobre o tranquilo vilarejo de Meryton, na Inglaterra – e os mortos estão retornando à vida! Nossa implacável heroína, Elizabeth Bennet, está determinada a eliminar a ameaça zumbi, mas logo sua atenção é desviada pela chegada do altivo e arrogante Sr. Darcy. "

Seth Grahame-Smith é um escritor, retorista e produtor de cinema e televisão estadunidense. Seus romances mais conhecidos são "Abraham Lincoln, Caçador de Vampiros" e a adaptação da obra de Austen, um dos primeiros livros de Mash-up classic, gênero que pode ser entendido como uma mistura de obras clássicas e figuras de horror, com algumas adaptações... 

Orgulho e Preconceito e Zumbis é narrado em terceira pessoa como o clássico, contudo as boas doses de ironia descontraem a leitura e tiram um pouca da seriedade do romance original. O enredo passa por todas as etapas da estória original, inclusive com bastante preservação do texto de Austen mas, com algumas situações e cenas a mais. Não se engane supondo que tudo fica repetitivo. 


Logo na primeira página somos surpreendidos com a imagem do Sr. Bennet afiando adagas e limpando mosquetes rotineiramente. A motivação para adquirir tal habito foi a terrível praga que se espalhou pela Inglaterra. Através da premissa da praga zumbi são feitas alterações na trama e nas características dos personagens, algumas sutis outras nem tanto. As irmãs Bennet, por exemplo, foram altamente treinadas na arte do kung fu pelo Mestre Liu para tornarem-se as guardiãs de Hertfordshire. 

A chegada de um jovem rico e cortês a vizinhança acaba por comprometer a concentração das guerreiras, com exceção de Elizabeth, ela não abandonaria sua espada por menos que um espadachim a sua altura. Não é o caso do senhor Bingley, já o seu amigo, o Sr. Darcy, poderia muito bem ter atraído a atenção da Srta. Bennet não fosse suas maneiras arrogantes e desagradáveis.

No decorrer da estória acompanhamos romances conturbados e nos prendemos no processo de autoconhecimento pelo qual passam Lizzy e Darcy.  Os zumbis estão sempre como pano de fundo, nas estradas e florestas, à procura de cérebros para devorar... O que acarreta fatos interessantes no enredo. Além disto, o jeito badass das irmãs Bennet e do Sr. Darcy só podia resultar em boas risadas! 

Quem não leu leu "Orgulho e Preconceito" será levado pela trama com um pouco mais de facilidade do que na leitura da obra original de Austen, isso por conta da agilidade que as lutas dão á narrativa e também pela linguagem mais simples dos diálogos. 

Agora quem já leu e é fã do romance, assim como eu, será levado também pela curiosidade de ver seus personagens favoritos em situações, digamos, bastante inusitadas... Ah, e para essas pessoas um recado: Podem esperar algumas surpresas no final! 

Devo ressaltar porém, que há momentos em que as tentativas de humor não dão muito certo e as cenas parecem um tanto forçadas. 

Por fim, a inserção dos zumbis na estória não altera as críticas morais e sociais apresentadas por Austen , esse elemento adicional nos mostra as mesmas questões por um mais um ângulo. Como fã do universo zumbi e de Jane Austem, não poderia deixar de gostar desta junção feita de forma bastante inteligente. 


+ Reflexão: Infectado


Falar de zumbis e tratar de conceitos morais como os que Austen trata em seus livros pode fazer sentido? Acho que sim. Os zumbis são seres fantásticos que produzem no meio em que estão inseridos fortes questionamentos morais. Neste livro isso também ocorre. Como preservar valores numa sociedade infectada com um mal que se alastra? Em "Orgulho e Preconceito e Zumbis" é possível viver as coisas mais belas da vida apesar de todo o mal presente no mundo. 


+ Avaliação: 




14 comentários :

  1. Gostei amiga da sua resenha, e fiquei curiosa..mas confesso que tenho muito medo de ler livros e ver filmes sobre zumbis e mortos,kkkk
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Estou tão na vibe dos zumbis que todas as leituras sobre o tema são bem vindos. Adorei a resenha e fiquei ainda mais curiosa para lê-lo. Beijos

    http://estantedarob.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá, como está?
    Olha, faz tempo que vi esse livro, mas ainda não o li.
    Sinto um sentimento bem assim: tenho muita, e, às vezes, nenhuma vontade de ler este livro.

    http://incriativos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho pavor de zumbis... peguei trauma depois de ser obrigada a assistir vários filmes e seriados do tipo anos atrás. =/

    Já tinha visto esse livro várias vezes e toda vez que olho me dá ânsia de vômito. (Bléeeeghhhh)

    Maaas, fiquei feliz em ver que eles não alteraram tanto a história original. ^^
    Ao menos foi só uma tentativa de recriar algo e ver se fica melhor. (Eu aaaamo 'orgulho e preconceito'!!!)

    Parabéns pela resenha!

    Cássia Lima
    Vivendo um sonho por dia
    ou
    No Wordpress: Vivendo um sonho por dia

    ResponderExcluir
  5. Oi Pétala, tudo bem?
    O livro me pareceu ser bem interessante, principalmente para quem já leu a obra original, acho que é uma boa pedida para os fãs de The Walking Dead. Mas pela sua classificação você não gostou tanto assim do livro, ou estou enganada?

    Beijão :*

    http://justonemomentt.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maiah! Dessa vez quem fez a resenha fui eu, a Pétala ainda não leu esse livro...
      Classifiquei o livro como bom, é que (como eu disse na resenha) tem horas que o autor exagera e fica meio sem graça. O livro tem seus autos e baixos mas, eu gostei sim! ^^

      Excluir
  6. Oi Isa,
    Pena que a mistura de humor e Jane Austen não funcionou pra você.
    Confesso que eu geralmente não gosto de humor acrescentado à uma história clássica, fica forçado e geralmente ocorre um encontro de duas escritas sem conexão alguma. Orgulho e Preconceito é um dos melhores livros da tia Jane, não gosto de ler adaptações ou releituras de livros que eu gosto. Sei lá, vai tirando um pouco do brilho. Resenha impecável.

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari,
      Realmente, perde um pouco do brilho... mas eu gostei!
      Obrigada =)

      Excluir
  7. Oi Isabela,
    tudo bem?
    Eu não acreditei nessa capa, Jane Austen é minha Diva!!!!! O que ela está fazendo em um livro de zumbis? Confesso que não gostei, não leria esse livro. Mas eu gostei muito da sua reflexão, concordo com você, essa analogia de zumbis infectando a sociedade, da mesma forma que os valores machistas e preconceituosos da época, faz sentido.
    beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério que você não gostou da capa? Foi o que me deu vontade de ler o livro! haha' Mas eu gosto de zumbis então...
      Beijos

      Excluir
  8. Comprei esse livro numa promoção na Fnac mas ainda não li, apesar de adorar zumbis. Haha
    Gostei muito do blog, estou seguindo!
    Beijos,
    Isabelle.
    http://www.verbosdiversos.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isa (é estranho chamar alguém que tem o mesmo apelido que o seu rs),
      Tbm gosto de zumbis e amo Orgulho e Preconceito, então gostei da leitura. Mas ela empaca em alguns momentos, não sei se é o tipo de todo mundo...
      Obrigada =)
      Beijos

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo.
Leia , pense, se expresse!